Gratis! Receber atualizações e novidades por e-mail

Clique em curtir-nos no facebook

sábado, 23 de novembro de 2013

Conheça O lendário Codex Giga - "A Bíblia do Diabo"


O lendário Codex Giga - A Bíblia do Diabo
O lendário Codex Giga - "A Bíblia do Diabo"
Para os aprendizes de Harry Potter, o melhor é buscar um Grimório(Grimórios do francês grimoire, são coleções medievais de feitiços, rituais e encantamentos mágicos invariavelmente atribuídas a fontes clássicas hebraicas ou egípcias. Tais livros contêm correspondências astrológicas, listas de anjos e demônios , orientações sobre como efetuar feitiços ou misturar remédios, conjurar entidades sobrenaturais e da confecção de talismãs, de acordo com o ponto-de-vista e com os estudos experimentais do autor.) para estudar magias e tal!

Então hoje trago aqui a história do Codex Giga, também conhecida como a Bíblia do Diabo e claro ele é um
Grimório excelente para quem está iniciando no mundo da Magia!

O que é o Codex Giga?


Um livro escrito por um monge beneditino, que mistura a Bíblia, rituais satânicos e um manual de exorcismo, foi, durante muito tempo envolto em uma série de histórias sobre destruição, guerras e epidemias. Conhecido como “Bíblia do diabo”, o livro foi objeto de desejo de líderes religiosos e imperadores, por onde passou, e agora teve seus segredos analisados por um grupo de cientistas.

O Codex Gigas é considerado o maior manuscrito medieval existente no mundo. Foi criado no início do século XIII, presumivelmente no mosteiro beneditino de Podlažice na Boémia (actual República Checa), e agora está preservado na Biblioteca Nacional da Suécia, em Estocolmo. É também conhecido como a Bíblia do Diabo, devido a uma grande figura do diabo no seu interior e da lenda em torno da sua criação.

De acordo com a lenda, que começa no século XIII, na Boêmia, onde hoje é a República Tcheca, em um mosteiro beneditino, um monge cometeu um pecado tão grande que foi condenado a ser emparedado vivo. Desesperado, ele implora por perdão e promete que em apenas uma noite, vai escrever um livro com todo o conhecimento humano.

 O lendário Codex Giga - "A Bíblia do Diabo"
 O lendário Codex Giga - "A Bíblia do Diabo"

A lenda do Codex Gigas

A lenda prossegue afirmando que à meia-noite o monge percebeu que não conseguiria escrever o livro e invocou o diabo, com quem acabou por fazer um pacto. Em troca de sua alma, o próprio Satanás, então, escreve o livro.

Com o temor ao diabo sendo tão forte quanto à adoração a Deus durante a Idade Média, lendas macabras como essa acabavam se espalhando facilmente. Para desvendar os mistérios por trás desse livro, um grupo de cientistas se reuniu 800 anos depois, para tentar encontrar respostas para algumas perguntas sobre o Codex Gigas: será que o livro foi mesmo escrito por apenas uma pessoa? Em quanto tempo? Que sombras estranhas são essas que só aparecem nas páginas próximas à ilustração do diabo?

 monge beneditino
Monge Beneditino
 
Uma nota na primeira página indica os monges do mosteiro beneditino de Podlažice, localizado perto de Chrudim e destruído durante o século XV, como os primeiros proprietários do códice. A reduzida dimensão deste mosteiro e a aparente escassez de recursos humanos e materiais faz levantar dúvidas sobre a sua capacidade de produção duma obra desta dimensão.

Os registos nela contidos terminam no ano de 1229. A ausência de qualquer referência à morte do rei da Boémia, Ottokar I, ocorrida em Dezembro do ano seguinte, sugere que a data mais provável para a sua conclusão é o final do ano de 1229 ou o início de 1230.

Devido a dificuldades financeiras do mosteiro de Podlažice, o códice foi mais tarde penhorado aos Cistercienses do mosteiro de Sedlec. A mesma nota na primeira página estabelece que em 1295 o códice voltou à posse dos beneditinos, após ter sido comprado pelo mosteiro de Břevnov. De 1477 a 1593, foi conservado na biblioteca de um mosteiro em Broumov até ter sido levado para Praga em 1594 para fazer parte da colecção de Rodolfo II.

No fim da Guerra dos Trinta Anos, em 1648, a colecção completa foi saqueada pelo exército sueco e, de 1649 a 2007, o manuscrito foi mantido na Biblioteca Nacional da Suécia.
Em 24 de Setembro de 2007, após 359 anos, o Codex Gigas voltou a Praga, a título de empréstimo, e esteve exposto na Biblioteca Nacional Checa até Janeiro de 2008.


Considerava-se por muito tempo que esta versão de condenação ao emparedamento do monge era verdadeira, devido à interpretação precipitada da palavra Inclusus, como sendo emparedamento. Na verdade foi reconsiderada esta tradução como sendo "recluso". Seria um monge que foi condenado, ou se condenou à reclusão no monsteiro para realizar o trabalho de uma vida. Se reforça essa versão pela "dedicatória" encontrada no final do livro: hermanus inclusus, ou "Herman, o recluso" ou "Herman, o enclausurado.

Outra lenda ligada ao livro diz que alguns trechos escondem encantamentos diabólicos e rituais de magia negra que podem ser decifrados a partir do estudo de alguns trechos. Ler o livro em algumas noites pré-determinadas também seria nocivo, pois nessas datas específicas alguns trechos mudavam e incluíam louvores satânicos. Finalmente, a imagem diabólica teria a propriedade de permitir que o leitor se comunicasse com o próprio demônio ao encarar seus olhos por tempo suficiente e pedir uma audiência com ele.  

Conteúdo Do Codex Giga

O Codex inclui toda a versão Vulgata Latina da Bíblia, exceto para os livros de Actos e Apocalipse, provenientes de uma versão pré-Vulgata. Estão também incluídos a enciclopédia "Etymologiae" de Isidoro de Sevilha, "Antiguidades Judaicas" e "Guerras dos Judeus" de Flávio Josefo, "Chronica Boemorum" (Crónica dos Boémios) de Cosmas de Praga e vários tratados sobre medicina. Pequenos textos completam o manuscrito: alfabetos, orações, exorcismos, um calendário com as datas de celebração de santos locais e registo de acontecimentos relevantes, e uma lista de nomes, possivelmente de benfeitores e de monges do mosteiro de Podlažice. Todo o documento está escrito em latim.

O manuscrito contém figuras decoradas (iluminuras) em vermelho, azul, amarelo, verde e dourado. As letras maiúsculas que iniciam os capítulos estão elaboradamente decoradas com motivos que, frequentemente, ocupam grande parte da página. O Codex tem um aspecto uniforme pois a natureza da escrita não é alterada em toda a sua extensão, não evidenciando sinais de envelhecimento, doença ou estado de espírito do escriba. Isto levou a que se considerasse que todo o texto foi escrito num período de tempo muito curto (ver Lenda). No entanto, atendendo ao tempo necessário à marcação das guias de delimitação das linhas e das colunas, à escrita do texto, e ao desenho e pintura das ilustrações, os peritos acreditam que o livro terá levado mais de 20 anos a ser concluído.

A página 290 contém apenas uma figura original de um diabo, com cerca de 50 cm de altura. Algumas páginas antes desta, estão escritas sobre um velino escurecido e os caracteres são mais esbatidos que no resto do manuscrito. A razão para a diferença nas cores é que o velino, por ser feito a partir de peles animais, escurece quando exposto à luz. No decurso dos séculos, as páginas mais expostas acabaram por ter um aspecto mais escuro. Hoje é aceita pelos espiritas.

Fazem parte da equipe de estudiosos um especialista em bíblia, um estudioso de escritas medievais e um expert em lendas do diabo, além da responsável pela biblioteca nacional da Suécia, onde o livro está guardado há quatro séculos. Através de técnicas normalmente usadas em perícia policial, eles
Diabo da página 290 do Codex Gigas
Diabo da página 290 do Codex Gigas
tentam descobrir a verdade por trás de tudo o que ao longo dos séculos foi considerado coisa do diabo.

Alguns fatos serviram para alimentar a lenda sobre a origem macabra do livro. A obra foi vendida a um monastério em Praga, que utilizava ossos humanos como parte da decoração de sua capela, o que acabou criando uma ideia de terror em torno dela. Ao ser retirado desse monastério, uma epidemia de peste bubônica dizimou todos os monges do lugar. A “Bíblia do diabo” passou ainda por outros locais, e sua passagem sempre foi associada a tragédias e morte.
Apesar das lendas, os estudos apresentaram outras explicações para os mistérios que envolvem o livro.

Sobre as sombras que só aparecem nas páginas próximas à figura do diabo e que, durante séculos, serviram como prova do fogo de Satanás nas escrituras, os cientistas explicam que o “Codex Gigas” foi escrito em pele de jumento, e que tal pele escurece em contato com a luz. Como essas são as páginas mais vistas do livro, justamente por causa da ilustração do diabo, tiveram mais contato com a luz e, por isso, escureceram.

Codex Gigas a verdade
Analisando Codex Gigas
Ao analisar os padrões de escrita, o grupo de estudiosos confirma que a obra foi escrita por apenas uma pessoa, mas não em apenas uma noite. De acordo com eles, trabalhando sem parar, seriam necessários cinco anos para escrever o livro. E estudando a rotina da vida monástica, que inclui várias missas e tarefas, eles concluíram que a obra demorou cerca de 20 anos para ser escrita.



O último mito, sobre a sentença de morte do monge, foi atribuído pelos cientistas a um erro de tradução. Segundo o estudo, a palavra latina que foi traduzida como emparedado, na verdade significava entre paredes, na clausura. O que para um monge significa ficar isolado do resto do mundo e se dedicando exclusivamente a escrever a sua obra.
 

 O que leva alguém a negociar com o diabo? E mais importante qual o valor de uma alma e o que poderia ser recebido em troca dela? 

 Na literatura, Fausto vende sua alma em troca da vida eterna, mas aprende da maneira mais difícil que a eternidade pode ser um pesadelo, ele vive para lamentar a barganha. O músico norte-americano Robert Johnson supostamente vendeu sua alma para se tornar o maior de todos os guitarristas de blues, mas foi amaldiçoado para sempre.

Grimório
Leria um Grimório agora?

  Por quanto você venderia a sua alma? E por que você venderia? 

Sem comentários:

Enviar um comentário

O Pantufa's Pop reserva-se o direito de remover comentários que contenham frases, palavrões, caracteres que sejam ofensivos e que estão em desacordo com o propósito do blog. O autor do comentário deve colocar seu nome e sobrenome para comentar.

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...